BUSCA 
Classificação de assuntos:

Pesquisa por palavra-chave:


 ÚLTIMAS ATUALIZAÇÕES 
07-04-2017
Entidades médicas lançam manifesto contra plano de saúde popular
As associações se posicionaram contra o plano de saúde popular proposto pelo governo federal: "Perde o médico, perde o SUS e, sobretudo, perde o paciente"
07-04-2017
Organizações lançam manifesto contra proposta de planos de saúde populares
Ideia, lançada pelo Ministério da Saúde, é oferecer alternativa a desempregados
07-04-2017
Organizações lançam manifesto contra proposta de planos de saúde
Um grupo de trabalho elaborou uma série de propostas de coberturas de baixo custo que foram enviadas à Agência Nacional de Saúde Suplementar
16-02-2017
Para especialistas, ‘autonomia da vontade’ prevalece
Decisão judicial que obriga o jovem José Humberto Pires de Campos Filho a passar por hemodiálise surpreende

Cremesp na Mídia


27-05-2017

UFMT impedida de revalidar diplomas


A Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) está impedida de revalidar diplomas médicos sem devido processo legal

A Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) está impedida de revalidar diplomas médicos sem devido processo legal. A decisão é da Justiça Federal de Mato Grosso do dia 23/05 que entendeu a ilegalidade do processo de revalidação de diplomas médicos estrangeiros por parte da UFMT. Em caso de descumprimento, a instituição pode pagar multa de até R$ 100 mil por diploma.

O juiz federal César Augusto Bearsi decidiu que a instituição de ensino está proibida de revalidar títulos obtidos no exterior, sem que os alunos sejam submetidos a provas atestando de forma adequada as competências, habilidades e atitudes de candidatos ao exercício da medicina no Brasil. 

A decisão atende a ação movida pelo Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp). A decisão decorre da constatação de que a UFMT vem descumprindo, regularmente, as normas e a legislação brasileira, revalidando diplomas de estudantes formados no exterior, sem uma avaliação criteriosa realizada por intermédio de aplicação de exames adequados. Segundo o documento, os portadores de diplomas de medicina formados no exterior que eram reprovados na prova de revalidação na UFMT, não eram obrigados a fazer novo teste, tendo, apenas, de realizar atividades complementares em hospitais sem estrutura ou supervisão acadêmica. 

E ainda após a realização dessas atividades, não era exigida a aprovação em nova avaliação por parte dos candidatos, dando a revalidação automática dos diplomas. “Independentemente de como e onde os estudos sejam complementados, com ou sem convênio com a UFMT, deve, ao final, a universidade pública proceder a uma nova análise e dizer se foi, ou não, superada a falha original, incluída aí a possibilidade de não só analisar o currículo e a carga horária, mas também, exigir prova de conhecimento”, decidiu o juiz. (AA) 


CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE SÃO PAULO
CNPJ: 63.106.843/0001-97

Sede: Rua Frei Caneca, 1282
Consolação - São Paulo/SP - CEP 01307-002

CENTRAL DE ATENDIMENTO TELEFÔNICO
(11) 4349-9900 (de segunda a sexta feira, das 9h às 20h)

HORÁRIO DE EXPEDIENTE PARA PROTOCOLOS
De segunda a sexta-feira, das 9h às 18h


ESTACIONAMENTOS : NOVOS CONVÊNIOS


CONTATOS

Regionais do Cremesp:

Conselhos de Medicina:


© 2001-2020 cremesp.org.br Todos os direitos reservados. Código de conduta online. 490 usuários on-line - 12
Este site é melhor visualizado em Internet Explorer 8 ou superior, Firefox 40 ou superior e Chrome 46 ou superior