PESQUISA  
 
Nesta Edição
Todas as edições


CAPA

EDITORIAL (JC pág. 2)
Médico do SUS: em defesa de plano de carreira definido e piso salarial digno


CONFERÊNCIA (JC pág. 3)
Os desafios por melhores condições de trabalho no sistema público de saúde


ATIVIDADES 1 (JC pág. 4)
Módulos para atualização profissional avançam no ABC e no interior


BIOÉTICA (JC pág. 5)
Síntese dos temas abordados no Simpósio de Bioética Hospitalar, realizado no final de maio


ATIVIDADES 2 (JC pág. 6)
Quatro chapas disputam o pleito para a gestão 2009-2014


PRÓ-SUS (JC pág. 7)
Fórum Nacional e Sudeste debate plano de cargos e salários da classe


ENSINO (JC págs. 8/9)
Coletiva de imprensa apresenta livro e estudo sobre o Exame do Cremesp


ÉTICA (JC pág. 10)
O médico auditor deve se identificar de forma clara em todos os seus atos


VIDA DE MÉDICO (JC pág. 11)
O ortopedista Luiz Mestriner relata sua paixão pelo ensino médico


ESPECIALIDADES (JC pág.12)
Acompanhe a história das especialidades médicas a cada edição do JC


GERAL (JC pág. 13)
Acompanhe a participação do Cremesp em eventos relevantes para a classe


ALERTA ÉTICO (JC pág.14)
A ética no preenchimento do prontuário médico, segundo Parecer Consulta do Cremesp


PESC (JC pág. 15)
Iniciativa leva informações sobre temas de saúde a comunidades da periferia


GALERIA DE FOTOS



Edição 260 - 06/2009

VIDA DE MÉDICO (JC pág. 11)

O ortopedista Luiz Mestriner relata sua paixão pelo ensino médico


“A escola, a gente não abandona nunca”

Professor há mais de 40 anos, o ortopedista Luiz Aurélio Mestriner construiu sua carreira em torno do ensino médico


O médico e professor em consultório na Vila Mariana

Se a carreira médica é uma das que mais exigem empenho e dedicação nos estudos, o ortopedista Luiz Aurélio Mestriner é prova desse princípio. Formado em 1972 pela Escola Paulista de Medicina – atual Unifesp –, ele construiu sua carreira em medicina também pela via do ensino médico.

Nascido em Ribeirão Preto, desde os tempos de ginásio já se delineava seu perfil, quando optou pela área de biológicas.  Cursou o primeiro ano de Medicina em Botucatu, na Universidade Estadual Paulista (Unesp). Porém, a oportunidade de preencher uma das vagas disponíveis para a turma do segundo ano da Escola Paulista de Medicina (Unifesp) fez com que mudasse a trajetória de sua formação, transferindo-se para essa universidade em 1968, onde permanece até hoje como professor.

Com um ano de residência em Cirurgia Geral, logo em seguida optou por cursar dois anos de especialização em Ortopedia e Traumatologia. Com o título de especialista, o médico não abandonou a universidade. Pelo contrário, resolveu ingressar em um grupo de estudos sobre joelhos, idealizado pelo professor Marino Lazaresqui, que existe até hoje.

Tantos conhecimentos fizeram com que o ortopedista prestasse um concurso dentro da própria universidade para ser professor colaborador. “Apresentei meu currículo, fui aprovado e, a partir daí, contratado para esse cargo, que hoje corresponde oficialmente a auxiliar de ensino dentro do quadro de carreira da escola”. O que o especialista não imaginava era que, ao lado da medicina, ali começava a despertar uma outra paixão em sua vida: ajudar na formação de futuros médicos.

Para isso, aprimorou-se ainda mais. No início dos anos 80, foi morar em Nova York, onde fez um estágio na clínica de John  Insaal, um dos pioneiros no setor de artoplastias.
Quando voltou, já havia sido criado o curso de pós-graduação em ortopedia. “Como queria me desenvolver na carreira acadêmica, cursei o mestrado e depois concluí o doutorado em 1991. Os dois títulos foram obtidos com base em pesquisas em artoplastia nos joelhos, graças ao conhecimento que obtive em Nova York”, recorda.

Luiz orgulha-se por ter tido a oportunidade de acompanhar e participar de toda a evolução dos tratamentos para problemas dos joelhos. “A artroscopia foi uma grande dádiva para a ortopedia moderna, principalmente no setor de joelhos. Atualmente pode-se fazer cirurgias impensáves há alguns anos”, avalia.

Como professor adjunto da faculdade, trabalhou por onze anos no Hospital do Heliópolis, mas quando teve de optar entre os dois trabalhos, não teve dúvidas: continuou na vida acadêmica. “Hoje sou professor associado e já poderia estar aposentado, mas a escola, a gente não abandona nunca. No dia em que não me quiserem mais, saio, porém vou continuar insistindo, voltando lá para assistir às palestras”, brinca.

Além das aulas, o ortopedista atende a pacientes em sua clínica. Quando sobra tempo, gosta de jogar uma partidinha de futebol.“Não jogo muito bem, mas ainda brinco na própria atlética da faculdade. A gente reúne o pessoal mais antigo e jogamos com nossos filhos. Dá uma partida legal”, comenta.


Cremesp participa de homenagem a Adib Jatene


Bráulio Luna, Antonio Carlos, Henrique Carlos, Eduardo Suplicy, Adib Jatene e Fausto Figueira

Para comemorar os 80 anos do médico e ex-ministro da Saúde, Adib Domingos Jatene, a Assembleia Legislativa realizou uma solenidade especial na noite do dia 18 de junho. A convite do deputado Barros Munhoz, presidente da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, o presidente do Cremesp, Henrique Carlos Gonçalves, esteve presente à homenagem, organizada pelo deputado Fausto Figueira, presidente da Comissão de Saúde e Higiene.

“Tão importante quanto festejar os 80 anos de profícua existência do professor Jatene, cabe agradecer em nome da classe médica paulista o patrimônio construído pelo mestre e dedicado à sociedade”, afirmou Henrique Carlos em seu discurso. “Entre suas inúmeras atuações, o homenageado se destacou com grandeza como médico cirurgião, professor de Medicina, na especialização de notáveis profissionais, pesquisador, administrador de instituições públicas e privadas e agente político na área da Saúde. Em todos esses campos, o professor Jatene deixou marcas que não se esgotarão em décadas, mas que se perpetuarão em séculos”, completou.

Conferência municipal discute saúde e meio ambiente


Mesa do evento, que teve palestra sobre saúde ambiental

Para debater o tema Saúde, ambiente e os impactos das mudanças climáticas, no dia 26 de maio, o Memorial da América Latina recebeu a 8ª Conferência Municipal de Produção Mais Limpa (P + L). Cerca de 2.600 pessoas compareceram ao local.

Idealizador e organizador da P + L, o vereador Gilberto Natalini (PSDB-SP) conduziu a abertura, ao lado do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, secretários municipais e outras autoridades. “É um dos maiores eventos sobre meio ambiente na cidade, que já se firmou no calendário do município e tem um espírito de discussão e proposições práticas”, comentou Natalini. De acordo com o vereador, “esse é um debate que deve ser expandido de modo a se inserir em todos os setores da sociedade, desde as autoridades públicas e especialistas até os empresários, comerciantes, universitários e donas de casa”, afirmou.

A palestra  mais prestigiada pelo público foi proferida pelo professor-doutor Arlindo Philippi Júnior, da Faculdade de Saúde Pública da USP, sob o tema Saúde Ambiental. Eduardo Jorge, secretário do Verde e Meio Ambiente; Karen Suassuna, da Organização não-governamental WWF; e Walter Lazzarini, representando o Conselho de Meio Ambiente da Fiesp, também compuseram a mesa redonda sobre o tema.





Este conteúdo teve 577 acessos.


CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE SÃO PAULO
CNPJ: 63.106.843/0001-97

Sede: Rua Frei Caneca, 1282
Consolação - São Paulo/SP - CEP 01307-002

CENTRAL DE ATENDIMENTO TELEFÔNICO
(11) 4349-9900 (de segunda a sexta feira, das 8h às 20h)

HORÁRIO DE EXPEDIENTE PARA PROTOCOLOS
De segunda a sexta-feira, das 7h às 21h


ESTACIONAMENTOS : NOVOS CONVÊNIOS


CONTATOS

Regionais do Cremesp:

Conselhos de Medicina:


© 2001-2020 cremesp.org.br Todos os direitos reservados. Código de conduta online. 236 usuários on-line - 577
Este site é melhor visualizado em Internet Explorer 8 ou superior, Firefox 40 ou superior e Chrome 46 ou superior