Últimas notícias de legislação
  • 17-09-2014
    Resolução CFM nº 2.079
    Dispõe sobre a normatização do funcionamento das Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) 24h e congêneres
  • 17-09-2014
    Resolução SS-SP nº 106
    Fixa limites para realização de plantões e plantões em estado de disponibilidade
  • 05-09-2014
    Resolução Cremesp nº 267
    Regulamenta o Exame do Cremesp como instrumento de avaliação da formação dos profissionais recém-graduados
  • 05-09-2014
    Decreto Senado Federal nº 273
    Susta a proibição do uso das substâncias anfepramona, femproporex e mazindol, seus sais e isômeros
  • 04-09-2014
    Portaria SMS/G nº 1804
    Institui a Coordenação da Rede de Atenção Especializada Ambulatorial (CRAEA)
  • 30-07-2014
    Portaria SGTES/MS nº 279
    Lista de Programas de Residência Médica que integram o recebimento de bolsa
  • 30-07-2014
    Resolução CFM nº 2.074
    Disciplina responsabilidades de médicos e laboratórios de Patologia quanto aos diagnósticos de Anatomia Patológica
  • 26-06-2014
    Lei Federal nº 13.003
    Torna obrigatória a existência de contratos escritos entre operadoras e prestadores de serviços
  • 24-06-2014
    Resolução SS-SP nº 74
    Teste para pesquisa do HIV na 1ª consulta do pré-natal, início do 3º trimestre de gestação e no parto
  • 23-06-2014
    Portaria SMS/G nº 986
    Estabelece o protocolo clínico de uso para o metilfenidato

VER TODAS

Legislação


19-01-2006

Decreto Municipal nº 46.914/06

Dispõe sobre a obrigatoriedade da manutenção de desfibrilador em locais com mais de 1.500 pessoas

Diário Oficial Cidade de São Paulo, SP, 18 jan. 2006. pág. 1

DECRETO Nº 46.914, DE 17 DE JANEIRO DE 2006

Regulamenta a Lei nº 13.945, de 7 de janeiro de 2005, que dispõe sobre a obrigatoriedade da manutenção de aparelho desfibrilador externo automático em locais que designa e que tenham concentração/circulação média diária de 1.500 ou mais pessoas.

JOSÉ SERRA, Prefeito do Município de São Paulo, no uso das atribuições que lhe são conferidas por lei,
D E C R E T A:

Art. 1º. A Lei nº 13.945, de 7 de janeiro de 2005, que dispõe sobre a obrigatoriedade da manutenção de aparelho desfibrilador externo automático em locais que designa e que tenham concentração/circulação média diária de 1.500 ou mais pessoas, fica regulamentada nos termos deste decreto.

Art. 2º. Os estabelecimentos previstos na Lei nº 13.945, de 2005, deverão manter aparelho desfibrilador externo automático em suas dependências, estabelecendo um fluxo que permita a disponibilidade ao paciente em até 5 (cinco) minutos após constatado o evento.

§ 1º. Os estabelecimentos que disponham de serviços médicos próprios deverão manter a gestão, o plano de ação e o fluxo sob responsabilidade de sua equipe médica, nomeando profissional médico responsável.

§ 2º. Os estabelecimentos que esporadicamente se enquadrem nas condições previstas no artigo 1º deste decreto poderão terceirizar a prestação do serviço mediante a contratação de empresas devidamente cadastradas nos órgãos de vigilância sanitária.

Art. 3º. A capacitação de pessoal deverá contemplar 30% (trinta por cento) do quadro próprio e poderá incluir pessoas que trabalhem no local, tais como prestadores de serviços ou condôminos, devendo os estabelecimentos manter registros atualizados de modo a comprovar a existência e manutenção do percentual exigido durante todo seu período de funcionamento.

Art. 4º. Os equipamentos deverão atender às normas de fabricação e manutenção da Agência Nacional de Vigilância Sanitária - ANVISA, da Associação Brasileira de Normas Técnicas - ABNT e do Instituto Nacional de Metrologia, Normatização e Qualidade Industrial - INMETRO.

Art. 5º. As baterias a que se refere o inciso V do artigo 2º da Lei nº 13.945, de 2005, não poderão conter chumbo e seu descarte deverá seguir as normas das Resoluções do Conselho Nacional do Meio Ambiente - CONAMA nº 257/1999 e nº 283/2001, bem como a Resolução da Diretoria Colegiada ANVISA nº 306/2004.

Art. 6º. A inspeção sanitária para garantir o cumprimento da Lei nº 13.945, de 2005, e deste decreto será de responsabilidade dos órgãos técnicos da Secretaria Municipal da Saúde.

Art. 7º. Este decreto entrará em vigor na data de sua publicação.

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO, aos 17 de janeiro de 2006, 452º da fundação de São Paulo.

JOSÉ SERRA, PREFEITO
MARIA CRISTINA FARIA DA SILVA CURY, Secretária Municipal da Saúde
Publicado na Secretaria do Governo Municipal, em 17 de janeiro de 2006.
ALOYSIO NUNES FERREIRA FILHO, Secretário do Governo Municipal

CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE SÃO PAULO
CNPJ: 63.106.843/0001-97

Sede: Rua da Consolação, 753
Centro - São Paulo/SP - 01301-910

Sub-sede: Rua Domingos de Moraes, 1810
Vila Mariana – São Paulo/SP - 04010-200

CENTRAL DE ATENDIMENTO TELEFÔNICO
(11) 5908-5600 das 8h às 20h

HORÁRIO DE EXPEDIENTE
Consolação e Vila Mariana - das 9h às 18h

 

 

 

Rede dos conselhos de medicina:
© 2001-2014 cremesp.org.br Todos os direitos reservados. Código de conduta online. 157 usuários on-line - 41