PESQUISA  
 
Nesta Edição
Todas as edições


CAPA

PONTO DE PARTIDA
Editorial de Isac Jorge Filho: Pequenas Mudanças


POESIA
Miguel Carlos Vitalino, escritor e médico pneumologista


ENTREVISTA
A psiquiatra Carmita Abdo é a convidada especial desta edição


CRÔNICA
Ser filho de médico - José Simão


SINTONIA
Gravidez na adolescência


CONJUNTURA
Medicina Esportiva


DEBATE
Reprodução assistida para portadores de HIV


MEIO AMBIENTE
Compostos químicos e a saúde


COM A PALAVRA
A inveja não é só ruim - Carlos Amadeu Botelho Byington


HOBBY DE MÉDICO
Xadrez - No tabuleiro do doutor


HISTÓRIA DA MEDICINA
Tempo de criação 1951-1956


TURISMO
São Luiz do Paraitinga - Histórica, caipira e festeira


CULTURA
Corpos Pintados: mostra já percorreu 32 museus do mundo


CARTAS & NOTAS
Novo projeto gráfico da sua revista


LIVRO DE CABECEIRA
A Viagem Vertical - Enrique Vila-Matas


GALERIA DE FOTOS


Edição 31 - Abril/Maio/Junho de 2005

TURISMO

São Luiz do Paraitinga - Histórica, caipira e festeira

São Luiz do Paraitinga
Histórica, caipira e festeira

São Luiz do Paraitinga, a 170 km da capital, concentra um dos mais belos conjuntos da arquitetura colonial do Estado de São Paulo e também é um reduto de festas folclóricas e religiosas, celebradas de forma tradicional. Palacetes do século XVIII que abrigaram residências dos barões do café são um dos encantos dessa cidadezinha de 10 mil habitantes cravada entre colinas e montanhas na Serra do Mar. No centro histórico, há cerca de 90 casarões tombados como patrimônio histórico, além do prédio do Mercado Municipal (1885) e as igrejas Matriz (1840) e Nossa Senhora das Mercês (1814).

O povoado surgiu como um entreposto de tropeiros que faziam o transporte de mercadorias entre o Interior e o litoral, incluindo o ouro de Minas Gerais. Em 1769 tornou-se povoação de São Luiz e Santo Antonio do Paraitinga e foi elevada à vila em 1773. No próspero período de cultura do café e algodão, obteve o título de “Imperial Cidade de São Luiz do Paraitinga”, em 1873.

Do vasto calendário de festividades, o Carnaval de rua à moda antiga, com marchinhas de compositores locais, bonecos e blocos atraí público cada vez maior ao município. São Luiz tem uma forte tradição musical.  O compositor Elpídio dos Santos, que fazia a trilha dos filmes de Mazzaropi, é um de seus filhos mais ilustres. Na Festa do Divino – que este ano aconteceu entre 7 e 15 de maio – além das celebrações religiosas, na praça central da cidade apresentam grupos de congadas e moçambiques – rituais afro-brasileiros com cortejo musical. Nas barracas montadas nas ruas servem-se as comidas típicas da região – pastel de angu, afogado e mandioca frita. No feriado de Corpus Christi, as ruas do centro são enfeitadas com serragem e flores, formando vários tapetes decorativos.  
    
O município também abriga o núcleo Santa Virgínia do Parque Estadual da Serra do Mar, região de cachoeiras, quedas d’água, riachos e vegetação nativa, habitada por espécies ameaçadas de extinção, como a onça-pintada, preguiça, lontra e macaco prego. Uma das atrações do núcleo é a prática do ecoturismo.

Nos espaços cedidos ao esporte destaca-se o trekking, caminhadas leves por regiões desabitadas ou com maior grau de dificuldade, com pernoite na mata. Esportes radicais, como a canoagem e o rafting são praticados no Parque por agências credenciadas. O rafting consiste em descer rios de correntezas fortes em botes de borracha dentro de uma escala de dificuldade que vai de 1 a 6. Em São Luiz, é desenvolvido em nível 2 e 3 –  com alguns trechos de nível 4.

Para visitar o núcleo é preciso autorização prévia da coordenadoria do Parque. A visita é acompanhada por monitores que guiam os grupos pelas trilhas da área. Antes de visitar o parque procure o Posto de Informação ao Turista – na rua Coronel Domingues de Castro – que indica os monitores. Nessa rua está concentrada também a maior parte dos serviços que um turista precisa:  restaurantes de comidas típicas e agências para passeios e prática de esportes radicais.    


Na zona rural da cidade ainda restam alguns exemplares de sedes de fazendas coloniais, construídas no chamado “estilo cafeeiro paulista”.
Na região pode-se fazer passeios a cavalo, automóvel ou a pé. Entre São Luiz e Lagoinha, a Cachoeira Salto Grande é um dos melhores pontos para banho de rio. No local há lanchonete e banheiros para os visitantes.


Passeios de fácil acesso


Alto do Cruzeiro
O ponto mais alto oferece vista panorâmica da região.
Cachoeira do Poço do Pinto
Situada a 4 km do centro – Rodovia Oswaldo Cruz, acesso a Ubatuba.

Onde ficar
Há poucas opções de hotéis e pousadas na cidade, é sempre bom fazer a reserva com antecedência, principalmente em períodos de festas ou feriados.

Na cidade
Pousada Ápice - Rua Antonio Benildo Vaz de Campos, 213
Fone: (12) 3671-1724 - Site: www.pousadaapice.com.br
Pousada Caravela - Via de Acesso João Roman, 485
Fone: (12) 3671-1179
Pousada Primavera - Via de acesso Renato Aguiar, 400
Fone: (12) 3671-1289 - Site: www.primaverapousada.com.br
Pousada Nativa’s - Rua Capitão Antonio Carlos s/n
Fone: (12) 3671-2643 - Site: www.paraitinga.com.br

Nos arredores
Hotel Fazenda  Dunas do Pamomã - Rodovia Oswaldo Cruz, Km 55,5
Fone:  9118-6184/ 9119-3949 - Site: www.paraitinga.com.br 
Pousada Sertão das Cotias - Rodovia Oswaldo Cruz, Km 42,5
Fone: (12) 3671-1318 - Site: www.sertaodascotias.com.br
Pousada dos Curiangos - Estrada Rio Acima, nº 3000
Fone: (12) 3671-2680 ; (11) 5017-0240  e (11)  9773-0690
Site: www.pousadadoscuriangos.com.br

Berço de Oswaldo Cruz

Um imponente casarão de taipa de pilão do século XIX foi residência do sanitarista Oswaldo Cruz, nascido em São Luiz do Paraitinga em 5 de agosto de 1872, filho do também médico Bento Gonçalves Cruz, que clinicou na cidade por um curto período. A família voltou ao Rio de Janeiro em 1877,  mas São Luiz ostenta com o orgulho o título de “cidade berço de Oswaldo Cruz”. O sanitarista dá nome à praça central e à principal rodovia de acesso à cidade. A antiga casa da família será restaurada para abrigar o Centro Cultural Oswaldo Cruz. Na semana de nascimento do sanitarista, a Secretaria Municipal de Saúde promove palestras e encontros em escolas do município.

Calendário de festas com base em 2005

Janeiro – Festival de Marchinhas de Carnaval (festa em que se escolhe as marchinhas inéditas que serão executadas no carnaval)
Fevereiro – Carnaval das Marchinhas
Março –
Rally Rota dos Tropeiros de Mountain Bike
Sexta-Feira Santa  – (Procissão de Enterro)
Sábado de Aleluia
Domingo de Páscoa  
Coroação de Nossa Senhora
Maio – Encontro das Bandeiras (Festa do Divino).
Dia 8 – aniversário da cidade
Corpus Christi
Junho – Encontro das Bandeiras  
Festa de São Pedro, abertura
Julho – Festa de São Pedro, encerramento Romaria de Cavaleiros
Agosto – Semana Oswaldo Cruz.
Festa do Padroeiro “São Luís de Tolosa”
Outubro – Festa do Saci (na semana do dia 31). Há na cidade um movimento de “guerra” contra o halloween, o dia das Bruxas norte-americano. A Câmara Municipal decretou o 31 de outubro como o dia do Saci. Há festas de blocos de rua com sacis, curupiras, iaras, bois-da-cara-preta e outros representantes das lendas brasileiras

Localização
À beira da Rodovia Oswaldo Cruz entre Taubaté e Ubatuba
Taubaté: 45 Km
Ubatuba: 54 Km


Este conteúdo teve 141 acessos.


CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE SÃO PAULO
CNPJ: 63.106.843/0001-97

Sede: Rua Frei Caneca, 1282
Consolação - São Paulo/SP - CEP 01307-002

CENTRAL DE ATENDIMENTO TELEFÔNICO
(11) 4349-9900 (de segunda a sexta feira, das 9h às 20h)

HORÁRIO DE EXPEDIENTE PARA PROTOCOLOS
De segunda a sexta-feira, das 9h às 18h


ESTACIONAMENTOS : NOVOS CONVÊNIOS


CONTATOS

Regionais do Cremesp:

Conselhos de Medicina:


© 2001-2019 cremesp.org.br Todos os direitos reservados. Código de conduta online. 222 usuários on-line - 141
Este site é melhor visualizado em Internet Explorer 8 ou superior, Firefox 40 ou superior e Chrome 46 ou superior