PESQUISA  
 
Nesta Edição
Todas as edições


CAPA

EDITORIAL
Nesta edição, um grande debate sobre a propaganda de medicamentos de venda livre


ENTREVISTA
Polêmico e verdadeiro, o cineasta Ugo Georgetti fala sobre futebol. Imperdível!


CRÔNICA
Pasquale Cipro Neto: texto sempre bem-humorado e incontestável quando o foco é nosso idioma...


CONJUNTURA
Telemonitoração, Telehomecare, Telecirurgia Robótica. A Medicina Digital já é realidade


MEIO AMBIENTE
Edwal Campos Rodrigues, infectologista, alerta p/a necessidade de normatização na fiscalização de resíduos hospitalares


SINTONIA
Conheça um pouco da vida de Camilo Salgado, cultuado como santo popular no Pará


DEBATE
Debate sobre a propaganda de medicamentos: Sim ou Não?


HISTÓRIA DA MEDICINA
Hospital Santa Catarina: dedicação e perseverança desde sua fundação, em 1906


GOURMET
Não duvide: tem médico à frente de tradicional padaria no Bixiga...


EM FOCO
Vamos rodar pela Transamazônica numa expedição dedicada à saúde?


ACONTECE
Uma visita educativa - virtual - ao Museu da Língua Portuguesa


CULTURA
José Bertagnon: médico pediatra e artista premiado internacionalmente


TURISMO - CHILE
Viaje conosco até o Chile e conheça Puerto Williams e Porvenir. Inesquecíveis!


CARTAS & NOTAS
Pesquisa Datafolha mostra que a Ser Médico tem 100% de aprovação


LIVRO DE CABECEIRA
Sugestão de leitura para quem gosta de histórias de terror realista: Colapso...


POESIA
A poesia "Civilização Ocidental", de Agostinho Neto, finaliza com brilho esta edição


GALERIA DE FOTOS


Edição 35 - Abril/Maio/Junho de 2006

TURISMO - CHILE

Viaje conosco até o Chile e conheça Puerto Williams e Porvenir. Inesquecíveis!


Puerto Williams, nos confins do mundo

Cidade chilena é opção para quem pretende se aventurar pela Terra do Fogo
Tebni Enrique Saavedra *


“De Arica a Punta Arenas” é a expressão chilena equivalente a “do Oiapoque ao Chuí” para denominar os extremos territoriais do Brasil. Mas, para Punta Arenas essa expressão não faz justiça a duas cidades, Porvenir e Puerto Williams. Ambas ficam no sul, numa região remota do mundo, onde Chile e Argentina dividem o intrincado Arquipélago da Terra do Fogo, de belas ilhas e geleiras monumentais.

Porvenir fica na Ilha Grande da Terra do Fogo, bem em frente a Punta Arenas, na outra margem do Estreito de Magalhães. Puerto Williams fica na Ilha Navarino, às margens do Canal de Beagle – mais ao sul e nas proximidades da Antártica. A duas cidades chilenas foram foco de atenção mundial quando as disputas por fronteiras entre Chile e Argentina quase detonaram uma guerra na década de 70.

Hoje, tanto Puerto Williams (no Chile), como Ushuaia (na Argentina) têm soberania sobre o Canal de Beagle, fronteira natural entre os países. Das duas, a chilena é a menos “contaminada” pelo progresso e a que apresenta mais remanescentes indígenas, apesar da miscigenação. Puerto Williams começou a ser povoada pela “civilização” a partir de uma base militar criada em 1953. Hoje, com cerca de 2.500 habitantes, essa cidadezinha nos confins do mundo possibilita inúmeros passeios pela geografia da Antártica para observação de glaciais e castores, além de oferecer deliciosa gastronomia.

No centro de Puerto Williams, o Museu Martín Gusinde guarda verdadeiros tesouros de seus antigos habitantes, os índios fueguinos, assim chamados pelos espanhóis por fazerem fogueiras permanentes no inverno – dando origem à denominação de Terra do Fogo à região.

Por vários percursos o turista pode conhecer Puerto Toro, nos confins da ilha Navarino, bosques milenares e, se a coragem permitir, alugar barcos para conhecer as ilhas mais isoladas dessa parte do mundo: Picton, Nueva e Lénox. É nesse ponto da intrincada geografia chilena onde ocorrem os fenômenos mais incríveis do planeta. Inverno em que o sol se esconde às 4h30 da tarde ou verão em que simplesmente o sol não se esconde.

Próximo a Puerto Williams está ilha Hostes, de difícil acesso, mas de incrível beleza e visita obrigatória para quem quer conhecer o que há de mais próximo à vida dos náufragos. Na ilha mora o casal Martínez, proprietário de extensas terras, que tem se especializado em atender turistas que aparecem geralmente em veleiros para degustar as mais saborosas carnes da província Antártica.

A um quilômetro de Puerto Williams, fica o assentamento de Ukika, onde moram as últimas pessoas de reconhecida origem indígena da tribo Yahgan.

A cidade só tem um hotel, mas possui vários albergues e boa infra-estrutura para passeios. No calendário turístico de Puerto Williams, a noite mais longa do ano ocorre em 21 de junho. Em maio, a cidade sedia a regata Glórias Navales e, em julho, a Festa da Neve. Além dos cruzeiros que saem de Punta Arenas, Puerto Williams pode ser acessada por Ushuaia, Argentina.

Porvenir

A principal cidade chilena do Arquipélago da Terra do Fogo é Porvenir, com cerca de 6 mil habitantes, boa parte de ascendência croata. Suas casas antigas revelam um passado próspero. A cidade fica numa região de montanhas, cobertas de neve de abril a novembro. No centro, o turista pode visitar o Museu Provincial Fernando Cordero Rusque, que tem uma coleção arqueológica e de história natural, além de dados sobre as explorações de ouro do passado e das grandes indústrias que funcionaram na região até 1910.

Um pequeno passeio pelos vários lagos das imediações permite ver flamingos e cisnes. Saindo um pouco de Porvenir, uma rota de 20 quilômetros leva ao topo do cordão montanhoso, de onde é possível ver toda a ilha. A partir de Porvenir é possível conhecer o Glaciar Marinelli, o mais extenso da região, com imponentes paredões de gelo de quase 40 metros. Porvenir pode ser acessada por barco ou balsa desde Punta Arenas – no continente.

Terra do Fogo

A Cidade de Porvenir está localizada na maior ilha do arquipélago da Terra do Fogo. O arquipélago tem uma área um pouco menor que a de Irlanda, 70% pertencem ao Chile e 30% à Argentina. Sua ocupação pelos índios fueguinos, constituídos de quatro tribos, remonta há mais de 12.600 anos. Os Ona e os Haush habitavam o lado direito da ilha principal. Os Yahgan (homens de canoa) e os Alacalufes se distribuíam da região de Ushuaia até o recortado litoral do Chile. Ambos protegiam-se do frio com mantas de peles de animais e andavam nus quando o clima permitia.


AGROTURISMO À CHILENA

Fazenda familiar oferece montaria, carne fresca nas refeições, pesca artesanal, melodias ao som de violão e a possibilidade de brincar de ser um camponês, daqueles que tiram o leite pelas manhãs


Caso o turista queira viver a experiência de uma fazenda magalhânica ou fueguina, então deverá aventurar-se um pouco mais pela região. Após viagem de quase três horas de barco pelas geladas águas do Estreito de Magalhães e 200 quilômetros além de Puerto Porvenir, encontra-se o rio Chico. Nas proximidades, uma imensa casa secular recebe os turistas que porventura queiram passar umas férias junto de uma família que une os mais ancestrais costumes croatas à gentileza e tradição alemãs. Trata-se do Turismo Stuttgart, uma homenagem que Sterzo Beros Schöler, seu proprietário, fez à avó alemã nascida naquela cidade européia. As origens são percebidas assim que o visitante entra na casa grande. A limpeza é marca registrada. Quartos bem arrumados, camas amplas, fabricadas no mesmo campo pelos pais e avôs dos atuais proprietários, móveis de madeira nobre, uma cozinha afetuosa com o chimarrão sempre quente esperando o visitante.

Grossos troncos servem de sustento à mesa familiar no quintal da casa onde, com paciência que somente pode ser observada nessas latitudes, se cozinha a fogo lento e espetado por um pau, um cordeiro recém-sacrificado. “Temos a alegria e a tranquilidade do homem do interior – diz o patriarca Sterzo – e tratar bem às pessoas é um hábito que cultivamos desde pequenos”. Acostumado a receber visitas na casa familiar, o avô Beros conta com a cumplicidade do filho Sterzo e da neta Daniela, três anfitriões capazes de pegar um violão e alegrar a noite com belas melodias, de ontem e hoje.

Os que gostam de cavalgar, podem passar bucólicas quatro ou cinco horas observando as extensas esplanadas, espaço habitual de engorda dos cordeiros habilmente guiados a latidos e demonstrações de poder de Whisky e Blackie, cães especialmente adestrados para essa tarefa. “De início, dói um pouco montar no cavalo, mas a satisfação que eu vejo nas pessoas da cidade ao sustentar as rédeas em suas mãos é algo que vale a pena observar”, revela Daniela.

A estadia na fazenda dos Beros oferece ao visitante tudo o que um dia foi sonhado. Cavalos para montar, carne fresca nas refeições, pesca artesanal nos inúmeros laguinhos que formam parte da fazenda e a possibilidade de brincar de ser um modesto camponês, daqueles que tiram o leite bem cedo pelas manhãs. Mas, principalmente, a companhia cheia de afeto, própria dos habitantes dos últimos confins do mundo.

Incentivos

Nos últimos anos as pequenas empresas de agroturismo da Terra do Fogo vêm recebendo apoio do Instituto de Desarrollo Agropecuário, do Ministério de Agricultura do Chile, por meios de  linhas de créditos. Em localizações remotas como a Fazenda dos Beros, os subsídios são maiores, incluindo capacitação, infraestrutura e assistência técnica.

Quando ir
O melhor período para visitar a região é o verão, mas a sensação de estar no fim do mundo é mais forte no inverno (a noite começa às 17 horas e o sol somente aparece por volta das 10 horas da manhã). O inverno começa no mês de junho e vai até finais de agosto, com temperaturas mínimas de 10 graus abaixo de zero e máxima de 5 ou 6 graus. O verão começa no mês de dezembro e vai até março, com temperaturas entre 8 e 15 graus. Importante: nessa época, o sol quase não se esconde.

Informações
www.porvenir-chile.cl
lmartine@indap.cl
porvenir@porvenir-chile.cl

Como chegar
Santiago – Punta Arenas
Três companhias aéreas fazem linha regular: Lan Chile, Sky e Aerolíneas del Sur
Punta Arenas – Porvenir
Avião: Aerovias DAP
15 minutos de vôo
Navios: Transbordadora Austral Broom
três horas de navegação
Punta Arenas – Puerto Williams
Avião: Aerovías DAP
uma hora de vôo
Navios: Transbordadora Austral Broom 
trinta e seis horas de navegação


*Tebni Enrique Saavedra é jornalista em Santiago, Chile.


Este conteúdo teve 1824 acessos.


CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE SÃO PAULO
CNPJ: 63.106.843/0001-97

Sede: Rua Frei Caneca, 1282
Consolação - São Paulo/SP - CEP 01307-002

CENTRAL DE ATENDIMENTO TELEFÔNICO
(11) 4349-9900 (de segunda a sexta feira, das 9h às 20h)

HORÁRIO DE EXPEDIENTE PARA PROTOCOLOS
De segunda a sexta-feira, das 9h às 18h


ESTACIONAMENTOS : NOVOS CONVÊNIOS


CONTATOS

Regionais do Cremesp:

Conselhos de Medicina:


© 2001-2019 cremesp.org.br Todos os direitos reservados. Código de conduta online. 520 usuários on-line - 1824
Este site é melhor visualizado em Internet Explorer 8 ou superior, Firefox 40 ou superior e Chrome 46 ou superior