PESQUISA  
 
Nesta Edição
Todas as edições


CAPA

PONTO DE PARTIDA (pág. 1)
Bráulio Luna Filho


CONFERÊNCIA (pág. 4)
Fronteiras do Pensamento


CRÔNICA (Pág.10)
Luis Fernando Verissimo*


EM FOCO (Pág.12)
Obesidade


ESPECIAL (Pág. 16)
Comportamento


CARTAS E NOTAS (Pág. 23)
Projeto Ministério Público pela Educação


MÉDICOS NO MUNDO (Pág. 24)
Neurocirurgia


HISTÓRIA DA MEDICINA (Pág. 28)
Ácido acetilsalicílico


GIRAMUNDO (Pág. 32)
Medicina & Ciência


PONTO COM (Pág. 34)
Mundo digital & tecnologia científica


HOBBY (Pág. 36)
Carros antigos


GOURMET (Pág. 40)
Costelinha suína com farofa de couve


CULTURA (Pág. 44)
Adoniran Barbosa


FOTOPOESIA (Pág. 48)
Jorge Fernando dos Santos


GALERIA DE FOTOS


Edição 74 - Janeiro/Fevereiro/Março de 2016

HOBBY (Pág. 36)

Carros antigos

Brinquedos de gente grande

Médico de Guaratinguetá coleciona carros antigos


Ford Mustang Hard 1951

 

Ir a uma loja de brinquedos e lá ficar horas observando e imaginando aquelas miniaturas de carros em uma corrida disputada até a última volta é uma grande aventura, fruto da imaginação de milhões de crianças pelo planeta. Algumas pessoas colecionam essas miniaturas, um hobby que não é difícil de ser praticado. Mas o do médico urologista Reinaldo Antônio Monteiro Barbosa, de Guaratinguetá, é incomum. Ele coleciona carros antigos e possui verdadeiras relíquias em suas garagens.

A paixão por veículos começou na infância, impulsionada por seu pai. “Ele era representante da Mercedes em Guaratinguetá, e gostava muito de carros. Era um homem que acreditava muito na indústria automobilística brasileira”, diz o médico, lembrando que seu pai era amigo do dono da Gurgel Motores S.A., fabricante de automóveis brasileira, fundada em 1969, que encerrou suas atividades em setembro de 1996. Um dos carros dele era um Puma prata.

                                                 Jipe Willys 1951
 

Barbosa comprou um carro antigo, pela primeira vez, aos 17 anos. Era um Jipe DKW. A partir daí, a coleção foi crescendo aos poucos. A maioria dos veículos que compra não está em bom estado. Mas aí está a graça. Uma de suas maiores alegrias é quando vê um em péssimo estado e consegue restaurá-lo completamente. “Minha maior satisfação é quando acho uma peça que estava difícil de encontrar”, conta. Depois de totalmente restaurados, ele guarda-os em uma de suas garagens.


Reinaldo Barbosa, inspirado no pai, começou a coleção de
carros antigos aos 17 anos


“Não tenho fotografia deles antes da restauração, daria até medo de ver”, brinca. Mas, depois de prontos, já reluzindo o brilho e a beleza de quando eram novos, os carros ficam parados. “Raramente dou uma volta neles, quem mais os dirige é o Seabra, meu motorista”, relata.

Como bom colecionador, Barbosa pretende aumentar ainda mais sua coleção. Ele estava atrás de um modelo específico para acrescentar aos seus outros 30 carros, um Volkswagen SP2. Porém, para exacerbar sua ansiedade, estava difícil encontrá-lo, apesar da facilidade proporcionada pela internet em relação à aquisição de veículos antigos, explica. Com muita alegria, ele conta que adquiriu o modelo no começo de fevereiro deste ano.


MP Lafer 1930
 

Por não ser tão antiga, uma Caravan 1989 parece fora de contexto na coleção do urologista. “Era do meu cunhado, vendi para um mecânico amigo meu, recomprei, e acabei voltando a vender, só que para o meu vizinho, que me perturbou bastante por causa dele”, conta o médico, acrescentando que depois de seis meses recomprou-a novamente. A Caravan está inteira, pronta para uso, com vidro elétrico e ar condicionado. Porém, ele quer repassá-la novamente. “Só vou vender porque não é um carro antigo. Mas não existe outro igual no Brasil”, relata. Um dos diferenciais – conta – é o de ser o único que possui uma borracha no filtro de gasolina, para não bater na lataria.

Quanto aos antigos, todos são especiais para ele, mas alguns se destacam na coleção. “O MP Lafer 1980, comprei e refiz no melhor restaurador de carro do Brasil, em São Bernardo do Campo”, conta o médico. Já o que mais o orgulha é o Jipe DKW Candango. “É um dos mais completos do Brasil, tem até selo no painel e muitas peças são originais. Para quem gosta, enche os olhos”, alegra-se. Um dos mais raros é um Chevrolet Bel Air 1961, 6 cilindros.

O urologista, que além de atender em seu consultório, também atua na Santa Casa de Guaratinguetá e no Hospital Frei Galvão, não fala de valores e nem conta quanto custou cada um dos veículos, mas afirma que adquiriu alguns “por valores muito baixos, e outros, não”.


Jaguar Americar XK 1952


Bel Air 1961


Bel Air 1940

 


Em família

Casado, tem duas filhas, mas é o seu neto de 6 anos, Matheus, que Barbosa considera ser o herdeiro de sua coleção. Fala dele com alegria, mostrando fotos do neto divertindo-se com os carros antigos em tamanho real.

Ao contrário de outros colecionadores, o médico não gosta de expor os carros antigos. “Para mim eles são como relíquias, que vão ficar para alguém um dia e, se essa pessoa quiser, poderá mostrá-los em exposições”, comenta.

Mas seu contentamento com o hobby é tanto que diz: “todo mundo deveria ter um, não importa qual seja. Até brinco que não tenho estresse porque faço o que gosto, sou médico e, no final de semana, mexo com carro antigo. Todas as pessoas precisam sonhar. Quem não sonha, não vive”, assegura.

 


Coleção de carros

 

DKW Candango (1961)
Chevrolet Bel Air (1961)
Chevrolet Bel Air (1940)
Chevrolet Bel Air (1955)
Ford Mustang Hard (1965)
Mercedes Phoenix (1980) – réplica
Mercedes Phoenix (1981)
MP Lafer (1980)
Jipe Willys (1951)
Caravan (1989)
Variant (1973)
Puma GTB (1976)
Puma GTE (1980)
Puma GTE (1980)
Puma GTI (1980)
Puma GTS (1980)
VW Fusca “Itamar” (1996)
VW Fusca 1300 1ª série (1970)
VW Fusca 1300 2ª série (1970)
VW Fusca (1967)
VW Fusca 1ª série (1966)
VW Fusca 2ª série – modelinho (1966)
VW Fusca “Zé do Caixão” – 4 portas (1970)
Citroen – 1947
Karmann Ghia – bolinha (1970)
Karmann Ghia TC (1973)
Mercedes 220S – rabo de peixe (1960)
Mercedes 500 SEC (1990)
Jaguar Americar XK (1952) - réplica
Volkswagen SP2 (1976)


Motos

Vespa (1961)
Vespa (1967)

 


(Colaborou: Rodrigo Carani)

 

 


Este conteúdo teve 195 acessos.


CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE SÃO PAULO
CNPJ: 63.106.843/0001-97

Sede: Rua Frei Caneca, 1282
Consolação - São Paulo/SP - CEP 01307-002

CENTRAL DE ATENDIMENTO TELEFÔNICO
(11) 4349-9900 (de segunda a sexta feira, das 9h às 20h)

HORÁRIO DE EXPEDIENTE PARA PROTOCOLOS
De segunda a sexta-feira, das 9h às 18h


ESTACIONAMENTOS : NOVOS CONVÊNIOS


CONTATOS

Regionais do Cremesp:

Conselhos de Medicina:


© 2001-2019 cremesp.org.br Todos os direitos reservados. Código de conduta online. 282 usuários on-line - 195
Este site é melhor visualizado em Internet Explorer 8 ou superior, Firefox 40 ou superior e Chrome 46 ou superior