PESQUISA  
 
Nesta Edição
Todas as edições


CAPA

PÁGINA 3
Editorial


PÁGINA 4
Ensino Médico


PÁGINA 5
Caravana pelo Exame Obrigatório


PÁGINA 6
Institucional


PÁGINA 7
Entrevista - Lincoln Lopes Ferreira


PÁGINA 8 e 9
Ressonância


PÁGINA 10
Agenda da presidência


PÁGINA 11
Instituição de Saúde


PÁGINA 12 e 13
Eleição Cremesp


PÁGINA 14
Convocações


PÁGINA 15
Bioética


PÁGINA 16
Institucional


GALERIA DE FOTOS



Edição 359 - 06/2018

PÁGINA 3

Editorial


Voto do médico definirá a gestão 2018-2023 do Cremesp

Instituídos por lei federal, os Conselhos Federal e Regionais de Medicina são autarquias que regulamentam e fiscalizam o exercício da Medicina no país. Com funções características da administração pública, são órgãos delegados que auxiliam as atividades do Estado, atuando em prol da Medicina, dos médicos e da sociedade. Com base no Código de Ética Médica, apreciam, analisam e deliberam sobre os assuntos pertinentes ao exercício profissional. Os Conselhos integram um sistema estruturado para atender demandas cartoriais, como o registro de médicos, pessoas físicas e jurídicas; de fiscalização dos serviços de saúde; e judicantes, recebendo, apurando e julgando denúncias  ético-profissionais.

Além dessas atribuições administrativas, os Conselhos têm uma abrangência política, desenvolvendo também ações por melhores e mais adequadas diretrizes para a área da saúde, tanto no âmbito público como no privado. As constantes evoluções e mudanças de paradigmas na Medicina, algumas em velocidade vertiginosa, exigem, ainda, Conselhos permanentemente ativos e sintonizados com sua contemporaneidade. Um exemplo ilustrativo dessa exigência são as revisões do próprio Código de Ética que rege a profissão, que se tornaram mais frequentes nas últimas décadas, para adequá-lo aos acontecimentos e necessidades de seu tempo histórico.

Sob jurisdição estadual, cada Conselho de Medicina é composto por conselheiros médicos que desenvolvem essas atividades, cumprindo um mandato de cinco anos para o qual são eleitos por seus próprios pares. Esta dinâmica vem acontecendo desde que os Conselhos foram instituídos no Brasil, há 60 anos. Mais uma vez é chegado este momento e, no próximo mês de agosto, os médicos terão a eleição que definirá a gestão do Cremesp para o quinquênio de 2018-2023.

Dentro do espírito de transparência e democracia que norteia uma eleição, o pleito do Cremesp será conduzido por uma Comissão Eleitoral, formada por médicos que não fazem parte do atual corpo de conselheiros, e uma Comissão interna, composta por funcionários, para auxiliar no processo eleitoral. As chapas inscritas poderão designar um representante e um substituto para acompanhar os trabalhos das comissões eleitorais.

Esperamos que o médico vote com tranquilidade e conscientemente nos seus representantes no Cremesp pelos próximos cinco anos.

"Com funções características da administração pública, os Conselhos
auxiliam as atividades do Estado"


Destaque nas redes

Profissionais da Medicina obtiveram abastecimento
prioritário em crise de combustíveis

Após solicitação do Cremesp, prefeitura de São Paulo disponibilizou atendimento preferencial em vários postos de gasolina

 

Durante a crise de combustíveis gerada pela greve de caminhoneiros no final de maio, a Prefeitura de São Paulo disponibilizou atendimento prioritário aos médicos em diversos postos de abastecimento. A decisão foi tomada após ofício do Cremesp com essa solicitação.

 Preocupados com impactos da crise à sociedade e aos profissionais da saúde, o Cremesp e diversos Conselhos da área da saúde divulgaram uma nota pública conjunta, em 29 de maio, alertando os governantes que a priorização da locomoção dos profissionais da área garantiria assistência à saúde para a sociedade, assim como a entrega de insumos e medicamentos às instituições.

Repúdio

Por meio de nota, o Cremesp repudiou também a medida provisória 839 do Governo Federal, que retira recursos da Saúde e de programas sociais para aplacar a crise dos combustíveis. 

Logo no começo da crise, o Cremesp se solidarizou com os médicos que enfrentavam problemas para chegar ao trabalho, também por meio de nota pública em seu portal e mídias sociais. O documento orientava os médicos a formalizar eventual falta ao trabalho, reunindo todos os dados possíveis sobre o impedimento, além de informar que não haveria punição ao profissional que, comprovadamente, esforçou-se para cumprir sua obrigação.

Repercussão

Em apenas dois dias, a nota pública do Cremesp aos médicos obteve 3.749 visualizações no site e nas redes sociais, além de diversos comentários e questionamentos sobre como proceder, caso não conseguissem chegar ao trabalho. Abaixo, reproduzimos alguns dos comentários enviados. 

“Consegui chegar no meu plantão de terça-feira, mas quase não tive gasolina para o de quarta. Segui a orientação de vocês e formalizei meu problema para o diretor técnico. Obrigado!”
José Ricardo Oliveira

“Muito feliz com o posicionamento do CRM-SP!!!! Estava muito preocupada porque não tenho gasolina para chegar ao meu plantão no extremo da zona sul. Espero que a situação se resolva logo para que nós, médicos, possamos voltar aos nossos pacientes.”
Juliana Andrade


 


Este conteúdo teve 617 acessos.


CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE SÃO PAULO
CNPJ: 63.106.843/0001-97

Sede: Rua Frei Caneca, 1282
Consolação - São Paulo/SP - CEP 01307-002

CENTRAL DE ATENDIMENTO TELEFÔNICO
(11) 4349-9900 (de segunda a sexta feira, das 8h às 20h)

HORÁRIO DE EXPEDIENTE PARA PROTOCOLOS
De segunda a sexta-feira, das 8h às 20h


ESTACIONAMENTOS : NOVOS CONVÊNIOS


CONTATOS

Regionais do Cremesp:

Conselhos de Medicina:


© 2001-2020 cremesp.org.br Todos os direitos reservados. Código de conduta online. 362 usuários on-line - 617
Este site é melhor visualizado em Internet Explorer 8 ou superior, Firefox 40 ou superior e Chrome 46 ou superior