PESQUISA  
 
Nesta Edição
Todas as edições


CAPA

PONTO DE PARTIDA (pág. 1)
Editorial de Luiz Alberto Bacheschi, que assumiu a presidência do Cremesp em janeiro deste ano


ENTREVISTA (pág. 4)
Acompanhe um papo informal com o compositor, médico e herpetólogo...


SINTONIA (pág. 9)
Pintores famosos e o legado - artístico - a seus médicos, na visão do conselheiro José Marques Filho


CRÔNICA (pág. 14)
Texto do premiado médico escritor, membro da Academia Brasileira de Letras, Moacyr Scliar


ESPECIAL (pág, 16)
A reforma do sistema de saúde americano por Lynn Silver, sub-secretária da Saúde de Nova Iorque


CONJUNTURA (pág. 22)
Dados do Cebrid mostram que os jovens experimentam a bebida muito cedo: entre 10 e 12 anos


DEBATE (pág. 26)
Em discussão a evolução da psiquiatria e o programa de saúde mental no país


GIRAMUNDO (pág. 32)
O que esperar da Conferência Mundial sobre o Clima realizada em Copenhague em dezembro passado?


PONTO COM (pág. 34)
Informações interessantes de acesso rápido, nos endereços eletrônicos selecionados. Clique!


HOBBY (pág. 36)
O médico cardiologista Maurício Jordão pratica o ilusionismo nas horas vagas


CULTURA (pág. 38)
A Bahia pelo traço, leve e característico, de Hector Julio Páride Bernabó


TURISMO (pág. 42)
Búzios: 24 praias belíssimas, além de mirantes com vista de 360 graus


CABECEIRA (pág. 47)
Sugestões de leitura da presidente da Academia de Medicina de São Paulo


POESIA (pág. 48)
Trecho de A Noite Tava Divina, de Paulo Vanzolini


GALERIA DE FOTOS


Edição 50 - Janeiro/Fevereiro/Março de 2010

GIRAMUNDO (pág. 32)

O que esperar da Conferência Mundial sobre o Clima realizada em Copenhague em dezembro passado?

O saldo de Copenhague


Manifestantes durante a conferência na capital da Dinamarca

Um tratado para a redução da emissão de gases de efeito estufa por parte dos países industrializados é aguardado para este ano. O tímido acordo da Conferência Mundial do Clima de Copenhague, em dezembro 2009, previu a continuidade das negociações em 2010, numa tentativa de aumentar um pouco a modesta meta de redução a que se comprometeram os 37 países signatários do Protocolo do Kioto. Havia a expectativa de um acordo ousado em Copenhague para substituir o de Kioto, que vence este ano. Mas, ao contrário, o texto de 2009 não teve caráter vinculativo e os países apenas “tomaram nota” que devem reduzir as emissões o suficiente para manter o aumento da temperatura mundial abaixo de 2º. No entanto, estabeleceu a criação de um fundo de ajuda de US$ 10 bilhões anuais, entre 2010 e 2012, para as nações mais vulneráveis enfrentarem os efeitos das mudanças climáticas; e de US$ 100 bilhões a partir de 2020. O acordo mínimo quase naufragou devido às objeções de alguns países. Espera-se que o complemento do tratado, a ser fechado este ano, tenha caráter vinculante, respaldado por um regime de sanções, caso não seja cumprido.

Microfotografia

Criado em 1974 para premiar as melhores fotos tiradas com a ajuda de um microscópio, o concurso anual Nikon Small World, concedeu o primeiro prêmio de 2009 a Heiti Paves, professor doutor da Universidade de Tecnologia de Tallin, na Estônia, que representou uma antera de Arabidopsis thaliana (acima), a primeira planta a ter o genoma sequenciado. O espécime da antera foi tratado com substâncias fluorescentes e colocado num microscópio confocal. O concurso premiou também o professor brasileiro, Bruno Vellutini, do Centro de Biologia Marinha da Universidade de São Paulo (USP), que obteve o quinto lugar com microfotografia da superfície oral de uma estrela do mar (abaixo).


Drogas e acidentes de trabalho

De cada cinco acidentes de trabalho, um é provocado pelo consumo de drogas. A Organização Internacional do Trabalho (OIT) divulgou relatório indicando as áreas de relações públicas, comércio e construção entre as que apresentam maiores taxas de acidentes. O estudo pesquisou 38 empresas dos Estados Unidos, Europa e Ásia nos últimos cinco anos. Entre 15% e 25% dos acidentes ocorrem no local onde os profissionais – principalmente aqueles entre 20 e 35 anos – exercem as atividades, pela perda de reflexos ligada ao consumo habitual de álcool, cocaína, maconha, heroína e medicamentos para ansiedade. “Em todo o mundo, 67% das pessoas com algum tipo de dependência química estão integradas ao mercado de trabalho, e algumas com sucesso”, afirmou o psiquiatra Jerônimo San Cornélio, presidente da Academia de Ciências Médicas de Bilbao, um dos autores da pesquisa.

Indústria poluiu mais

A indústria foi o setor que mais contribuiu com as estimativas de emissão de gases de efeito estufa, entre 1994 e 2007, responsável por 56% do total, segundo o último relatório divulgado pelo Ministério do Meio Ambiente. Outro setor que muito contribuiu foi o de energia, com 54% das emissões. Por outro lado, a área de energia ampla foi a que mais eliminou gases de efeito estufa (85%). O setor de tratamento de resíduos (32%) também foi analisado, sendo o esgoto industrial, com 37%, o maior responsável pela emissão de gases. Em seguida ficou o de resíduos sólidos, com 34%, e, por último, o esgoto doméstico, com 23%. A agropecuária foi o setor que teve a menor estimativa, com 30% das emissões. A queima de resíduos agrícolas foi a grande vilã (59%) do setor, mas o cultivo de arroz teve queda de 37% nas emissões.

Planeta irmão


O exoplaneta HD 209458b em concepção artística

Pesquisadores da agência espacial norteamericana Nasa anunciaram a descoberta de um novo planeta, quente e gasoso, que contém química básica semelhante à Terra para o desenvolvimento de vida. Distante de nosso Sistema Solar, o HD 209458b possui mesma química que, se encontrada em planeta rochoso no futuro, poderá indicar presença de vida. “É o segundo planeta fora do nosso Sistema Solar em que água, metano e dióxido de carbono foram encontrados – elementos importantes para processos biológicos em planetas habitáveis”, declarou Mark Swain, pesquisador da Nasa. “A descoberta de componentes orgânicos nos dois exoplanetas já traz a possibilidade de que será corriqueiro encontrar planetas com moléculas que podem ser vinculadas à vida”, afirmou.

Vírus de vidro

Luke Jerram é um artista britânico que faz esculturas de vidro de vírus e bactérias causadores de doenças como H1N1, Aids, varíola e Sars, entre outras. Jerram pediu consultoria a um virologista da Universidade de Bristol para desenvolver as representações em vidro dos micro-organismos. No ano passado, fez a exposição Viral Sculptures em Londres.

http://www.lukejerram.com/projects/glass_microbiology


Este conteúdo teve 1762 acessos.


CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE SÃO PAULO
CNPJ: 63.106.843/0001-97

Sede: Rua Frei Caneca, 1282
Consolação - São Paulo/SP - CEP 01307-002

CENTRAL DE ATENDIMENTO TELEFÔNICO
(11) 4349-9900 (de segunda a sexta feira, das 9h às 20h)

HORÁRIO DE EXPEDIENTE PARA PROTOCOLOS
De segunda a sexta-feira, das 9h às 18h


ESTACIONAMENTOS : NOVOS CONVÊNIOS


CONTATOS

Regionais do Cremesp:

Conselhos de Medicina:


© 2001-2019 cremesp.org.br Todos os direitos reservados. Código de conduta online. 265 usuários on-line - 1762
Este site é melhor visualizado em Internet Explorer 8 ou superior, Firefox 40 ou superior e Chrome 46 ou superior