PESQUISA  
 
Nesta Edição
Todas as edições


CAPA

PONTO DE PARTIDA (pág. 1)
Encontro nacional em Brasília fortaleceu as reivindicações da categoria


ENTREVISTA (pág. 4)
Paulo Hoff, diretor clínico do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo Octávio Frias de Oliveira


MEIO AMBIENTE (pág. 9)
Encontro discutiu consumo de alimentos geneticamente modificados


CRÔNICA (pág. 13)
Tufik Bauab - Presidente da Sociedade Paulista de Radiologia e Diagnóstico por Imagem


SAÚDE NO MUNDO (pág. 14)
Tebni Saavedra descreve o sistema público de saúde do Chile


DEBATE (pág. 14)
A autonomia dos médicos e a prescrição racional de medicamentos


HISTÓRIA (pág.23)
A evolução dos estudos voltados para a saúde pós-período renascentista


GIRAMUNDO (pág. 26)
Curiosidades da ciência, da história e da atualidade


PONTO COM (pág. 28)
Canal de atualização com as novidades do mundo digital


SINTONIA (pág. 30)
Antonio Francisco Lisboa: maior escultor barroco mineiro do final do século XVIII


MÉDICOS EM FOCO (pág. 36)
Uma análise da temática médica, quando foco principal das séries televisivas


HOBBY (pág. 40)
Guerrini, o colecionador de conchas, já contabiliza mais de 10 mil peças


TURISMO (pág. 42)
Agende suas próximas férias para o interior paulista e aproveite o contato com a natureza


CABECEIRA (pág. 47)
Sugestão de leitura da conselheira Ieda Therezinha Verreschi*


FOTOPOESIA (pág. 48)
Cantares - Antônio Machado


GALERIA DE FOTOS


Edição 52 - Julho/Agosto/Setembro de 2010

PONTO DE PARTIDA (pág. 1)

Encontro nacional em Brasília fortaleceu as reivindicações da categoria


Luiz Alberto Bacheschi
Presidente do Cremesp

O recado dos médicos

O XII Encontro Nacional das Entidades Médicas (Enem) reuniu, em julho, em Brasília, mais de 500 representantes de associações médicas, sociedades de especialidades, sindicatos, conselhos de Medicina e médicos residentes para discutir propostas de políticas de saúde, melhorias do ensino e das condições de exercício profissional.

Em defesa da saúde pública, reiteramos a necessidade de aprovação imediata da Emenda Constitucional 29, que garantirá a sobrevivência do SUS. Ao mesmo tempo em que o movimento médico defende a atenção primária em saúde, com a ampliação dos profissionais no Programa de Saúde da Família, foi ressaltado pelo Enem que são inadiáveis novos investimentos na média e  alta complexidades, para acabar com as desigualdades de atendimento e com o longo tempo de espera para agendamento de consultas, exames e cirurgias.

A omissão da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) foi bem lembrada pelo Enem, ao deixar de regular a relação entre operadoras e médicos e ao permitir a defasagem nos honorários, os descredenciamentos imotivados e outras situações que desqualificam o atendimento e penalizam médicos e usuários dos planos de saúde.

Ficou registrado o apoio irrestrito das entidades a sanções rigorosas para os cursos de Medicina mal avaliados, incluindo a diminuição de vagas e o fechamento de escolas, sempre que necessário. Não podemos admitir a abertura de novas escolas, nem o funcionamento de cursos sem hospital próprio e corpo docente qualificado.

A garantia, para cada egresso dos cursos de Medicina, de uma vaga em programas de Residência Médica, que devem ser expandidos de acordo com as necessidades de saúde da população, soma-se à proposta de combate enérgico ao exercício ilegal da Medicina por estrangeiros ou brasileiros sem diploma revalidado, e que muitas vezes conta com a conivência de autoridades e gestores de saúde.

No campo da defesa profissional, o Enem destacou a carreira de Estado, que permitirá maior adesão dos médicos ao SUS; a implantação do Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos (PCCV); a aprovação, no Congresso Nacional, do projeto de Lei que regulamenta a profissão médica; o estabelecimento de piso salarial; a adoção da CBHPM atualizada como referência mínima do trabalho médico, incluindo reajustes anuais.

O recado que o Enem deu à sociedade, aos governantes e candidatos nas eleições de 2010 é que os médicos merecem ser valorizados e, principalmente, esperam ser respeitados, pois têm compromissos claros com o futuro da Medicina e com a saúde do povo brasileiro.


Este conteúdo teve 1682 acessos.


CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE SÃO PAULO
CNPJ: 63.106.843/0001-97

Sede: Rua Frei Caneca, 1282
Consolação - São Paulo/SP - CEP 01307-002

CENTRAL DE ATENDIMENTO TELEFÔNICO
(11) 4349-9900 (de segunda a sexta feira, das 9h às 20h)

HORÁRIO DE EXPEDIENTE PARA PROTOCOLOS
De segunda a sexta-feira, das 9h às 18h


ESTACIONAMENTOS : NOVOS CONVÊNIOS


CONTATOS

Regionais do Cremesp:

Conselhos de Medicina:


© 2001-2019 cremesp.org.br Todos os direitos reservados. Código de conduta online. 189 usuários on-line - 1682
Este site é melhor visualizado em Internet Explorer 8 ou superior, Firefox 40 ou superior e Chrome 46 ou superior