PESQUISA  
 
Nesta Edição
Todas as edições


CAPA

PONTO DE PARTIDA (pg.1)
João Ladislau Rosa - Presidente do Cremesp


ENTREVISTA (pg. 4)
Fang Zhouzi


CRÔNICA (pg.10)
Antonio Prata


EM FOCO (pg.12)
Wagner dos Santos Figueiredo


DEBATE (pg.16)
Solera/Yonamine/Carrazza


CONJUNTURA (pg.22)
Bebidas alcoólicas: consumo e propaganda


SINTONIA (pg.26)
Especialidades médicas


GIRAMUNDO (pg. 30)
Curiosidades de ciência e tecnologia, história e atualidades


PONTO.COM (pg. 32)
Informações do mundo digital


HISTÓRIA DA MEDICINA (pg.34)
Cientistas brasileiros e o Nobel


LIVRO DE CABECEIRA (pg.37)
Jürgen Thorwald


CULTURA (pg. 38)
Chang Dai-chien


CARTAS & NOTAS (pg.43)
Ser Médico bombou na web!


TURISMO (pg. 44)
Gramado, Caxias do Sul, Canela.. quem resiste?


FOTOPOESIA (pg.48)
Salomão Souza


GALERIA DE FOTOS


Edição 66 - Janeiro// de 2014

PONTO DE PARTIDA (pg.1)

João Ladislau Rosa - Presidente do Cremesp

A formação médica em xeque

 

   Ser médico deveria ser sempre uma opção diretamente relacionada ao compromisso social. Afinal, quem trata de saúde, de vidas humanas, tem de focar o próximo, o bem-estar dos cidadãos. Houve época em que a medicina era uma espécie de trincheira dos românticos. Ao praticá-la, o profissional criava elos consistentes com os pacientes, com os parentes dos mesmos; tornava-se quase mais uma pessoa da família.

A mercantilização no campo da saúde suplementar, a falta de políticas para a valorização dos recursos humanos na área pública transformaram completamente esse quadro no decorrer das últimas décadas. O perfil dos novos médicos foi contaminado por essas distorções e ainda pela formação inconsistente oferecida pela maioria dos cursos de Medicina, aberta com a ótica do lucro e não do humanismo.

Temos no Brasil atualmente cerca de 40% de médicos com menos de 10 anos de profissão. Em São Paulo, o índice é maior, pois formamos mais e recebemos uma quantidade expressiva de graduados de outros Estados.

Um recorte por idade do estudo Demografia Médica no Brasil, do Conselho Federal de Medicina, publicado nesta edição, é uma peça indispensável para a compreensão dessa “renovação” da medicina. Há dados que obrigatoriamente nos forçam a refletir sobre como, para quem e para que estamos formando.

Especialidades essenciais como Tocoginecologia e Pediatria ainda figuram entre as especialidades mais escolhidas por médicos com menos de 35 anos.

Entretanto, não formam quadros suficientes para atender à demanda social. No caso da Obstetrícia, os honorários escorchantes praticados por planos de saúde e governos tornam sua prática condenada ao extermínio. A situação é tão grave que até os especialistas com título (13% deles) estão deixando de exercê-la, conforme recente pesquisa do Datafolha. 

Na Pediatria, a perspectiva é igualmente sombria. Se compararmos os números de 1999 com os de 2013, houve queda de 55% dos candidatos ao título de especialista. Levando em consideração que neste ínterim houve significativo aumento do número de faculdades de Medicina, com consequente crescimento no número de novos médicos, proporcionalmente a queda foi brutal. Se há 15 anos, 15% a 20% dos formandos procuravam a pediatria como especialidade, hoje esse número é inferior a 8%.

Mesmo assim, as duas especialidades junto com Cirurgia Geral, Clínica Médica e Anestesiologia somam 44% de nossos especialistas. Os 56% restantes ficam divididos entre as demais 45 áreas, o que demonstra, além do desequilíbrio, falta de programas de incentivo para nichos de grande necessidade social.

É mister, assim, uma análise profunda de toda a estrutura de nossas políticas de residência e titulação. Temos muito ainda a avançar para olhar com orgulho o fato de sermos tão jovens e já especialistas.



João Ladislau Rosa
Presidente do Cremesp

 

 

 


Este conteúdo teve 1725 acessos.


CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE SÃO PAULO
CNPJ: 63.106.843/0001-97

Sede: Rua Frei Caneca, 1282
Consolação - São Paulo/SP - CEP 01307-002

CENTRAL DE ATENDIMENTO TELEFÔNICO
(11) 4349-9900 (de segunda a sexta feira, das 9h às 20h)

HORÁRIO DE EXPEDIENTE PARA PROTOCOLOS
De segunda a sexta-feira, das 9h às 18h


ESTACIONAMENTOS : NOVOS CONVÊNIOS


CONTATOS

Regionais do Cremesp:

Conselhos de Medicina:


© 2001-2019 cremesp.org.br Todos os direitos reservados. Código de conduta online. 260 usuários on-line - 1725
Este site é melhor visualizado em Internet Explorer 8 ou superior, Firefox 40 ou superior e Chrome 46 ou superior